PESQUISA



Pesquisa Avançada

PRÓX. LANÇAMENTOS

* NOVO TELEFONE (21) 2557-3960

comprovantes pgto enviar por e-mail (beatriz@anep.com.br)

A Esquemateca Vitória fechou. O Sr pode tentar mandar e-mail para o Jone( jone-fs@hotmail.com)

fone 21 2516-0802) ou Vivo(21) 99748-8419 (Whatsapp). Endereço: Rua Alexandre Mackenzie 40 Centro –

20221-410 Rio de Janeiro, RJ

A pessoa que recebeu o acervo da ESBREL já conseguiu digitalizar parte do material. Ele se chama

J R Mano-manorc1@manorc.com.br. (51) 9731-1158 (WhatsApp)

Tem também uma firma em Caxias chamada EPEL fone(21) 2772-4838 (atepel@atepel.com.br) que vende esqu

Endereço: Av Duque de Caxias 190 loja Centro -25070-070 Duque de Caxias, RJ

NEWSLETTER

Fique sabendo das novidades da Editora Antenna através do nosso Newsletter!

Cadastre-se aqui!

SEJA NOSSO AUTOR

Venha ser um autor da Editora Antenna! Para obter maiores informações a respeito, clique aqui.

ENQUETE

Como você chegou até nosso site?


Resultados


CADASTRO

Seja nosso cliente e aproveite todas as vantagens do site!

Cadastre-se agora!

LOGIN

REVISTAS

DETALHES DO LIVRO



Degradação e Estabilização de Polímeros


Marco Aurelio De Paoli



286 páginas - 1ª edição - 2008


ISBN: 9788588098442


Formato: 16 x 23


Referência: ART-442


R$77,00       


indicar para um amigo


Este livro permite ao leitor a entender o que ocorre com um polímero (termoplástico ou elastômero) quando exposto a diferentes tipos de intemperismo, e as estratégias usadas para retardar o processo de envelhecimento do material. Para isso, discute-se a degradação dos polímeros, os métodos usados para ensaiar essa degradação sob diversos tipos de situações e os diferentes tipos de aditivos usados para controlar e/ou minimizar os processos de degradação.

Com esse conhecimento o profissional da área de plásticos e borrachas poderá tanto desenvolver e ensaiar as suas próprias formulações, como discutir as possíveis melhorias técnicas com os fornecedores de matéria-prima, de aditivos ou de produtos acabados.



Depois de ministrar cursos sobre “Degradação e Estabilização de Polímeros” por quase trinta anos, para alunos de diversos níveis de formação, decidi que seria conveniente escrever um livro sobre esse assunto, num formato e com um conteúdo que pudesse ser lido e compreendido pelos profissionais que trabalham com polímeros. Por isso, alguns poderão achar que este texto contém explicações muito simples e óbvias, mas o que é simples para uns pode ser complicado para outros.
Este livro foi organizado em capítulos com a sua própria bibliografia, de modo a facilitar a leitura, e foi direcionado principalmente aos Químicos, Físicos, Engenheiros Químicos e Engenheiros de Materiais e Técnicos de segundo grau. Os Engenheiros Mecânicos e de outras especialidades talvez tenham um pouco mais de dificuldade para entendê-lo porque, infelizmente, os conteúdos de Química nos seus cursos de graduação são menos abrangentes. Quando necessário, cada capítulo tem uma pequena introdução ao tema a ser tratado.
Assim, o primeiro capítulo é uma introdução geral, onde se procura discutir os conceitos básicos da ciência dos polímeros sob a óptica da degradação. No segundo capítulo discutem-se as reações químicas que ocorrem durante os processos de degradação dos polímeros em geral, de modo a poderem ser referidas nos capítulos subseqüentes. O terceiro e o quarto capítulos tratam das formas como essas reações se iniciam. No terceiro, apresentam-se as formas de iniciação que ocorrem de maneira isolada e no quarto abordam-se aquelas que sempre ocorrem de maneira associada. Neste quarto capítulo há também uma discussão sobre o stress-cracking, uma forma de degradação conhecida há muito tempo, porém ainda pouco compreendida. Por outro lado, como a degradação das blendas é diferente da degradação dos polímeros e co-polímeros puros, discute-se este fenômeno no capítulo 5, juntamente com o caso dos compósitos e nanocompósitos. Para poder entender os processos de degradação e selecionar o melhor tipo de aditivo estabilizante, ou combinação deles, é preciso escolher o método de ensaio mais adequado e o método de acompanhamento dos resultados destes ensaios. Sem querer suplantar a literatura já existente, no capítulo 6 procura-se discutir estes métodos, novamente sob a óptica da questão da degradação e estabilização. Depois de se saber como a degradação começa e como se pode acompanhá-la, é preciso discutir a forma de atenuá-la: são os estabilizantes, discutidos nos capítulos 7 e 8. Como a biodegradação é um caso diferente dos processos de degradação usuais de polímeros sintéticos, é tratada à parte, no capítulo 9. No capítulo 10 são discutidos alguns casos importantes relacionados à questão da degradação e estabilização de polímeros, assim como alguns procedimentos que devem ser tomados em pendências judiciais relacionadas com o tema.
Existem excelentes livros e artigos científicos sobre ciência dos polímeros e sobre as reações de polimerização, escritos por autores brasileiros mas, como um livro não é necessariamente um artigo de revisão sobre o estado da arte, não é preciso cobrir toda a literatura existente sobre o assunto. Neste contexto, é suficiente fornecer exemplos para ilustrar os conceitos que estão sendo apresentados e discutidos, de modo que as referências bibliográficas citadas neste livro foram instrumentos auxiliares usados na sua redação e não pretendem cobrir de forma exaustiva todo o assunto abordado.

Capítulo 1 – Conceitos básicos sobre polímeros relacionados com a degradação, 1.1 – Classificação de polímeros
1.2 – Blendas poliméricas e compósitos
1.3 – Reações de polimerização
1.4 – Grau de cristalinidade
1.5 – Formas de processamento
1.6 – Conclusão
1.7 – Bibliografia
Capítulo 2 – Tipos de reações de degradação
2.1 – Cisão de cadeias e reticulação
2.2 – Degradação sem cisão de cadeias
2.3 – Auto-oxidação
2.4 – Despolimerização
2.5 – Copolímeros
2.6 – Conclusão
2.7 – Bibliografia
Capítulo 3 – Formas independentes de iniciação das reações de degradação
3.1 – Térmica
3.2 – Fotoquímica
3.3 – Radiação de alta energia
3.4 – Conclusão
3.5 – Bibliografia
Capítulo 4 - Formas associadas de iniciação das reações de degradação
4.1 – Mecânica e termomecânica
4.2 – Química, foto e química, termo e química
4.3 – Stress cracking
4.4 – Conclusão
4.5 – Bibliografia
Capítulo 5 – Degradação em sistemas poliméricos multicomponentes
5.1 – Blendas
5.2 – Efeitos das interações entre os componentes de uma blenda
5.3 – Compósitos e nanocompósitos: efeito das cargas minerais, agentes de reforço
5.4 – Outros materiais multicomponentes
5.5 – Conclusão
5.6 – Bibliografia
Capítulo 6 – Ensaios e métodos de acompanhamento dos processos de degradação
6.1 – Métodos de ensaio: envelhecimento ambiental e envelhecimento acelerado,
6.2 – Métodos de acompanhamento por processos térmicos
6.3 – Métodos espectroscópicos
6.4 – Acompanhamento por medida da variação da massa molar
6.5 – Acompanhamento por ensaios mecânicos
6.6 – Outros métodos de acompanhamento
6.7 – Conclusão
6.8 – Bibliografia
Capítulo 7 – Estabilizantes e antioxidantes
7.1 – Modo de ação dos estabilizantes
7.2 – Estabilizantes primários e secundários
7.3 – Solubilidade, migração e estabilidade química dos aditivos estabilizantes
7.4 – Conclusão
7.5 – Bibliografia
Capítulo 8 – Fotoestabilizantes e outros aditivos estabilizantes
8.1 – Fotoestabilizantes
8.2 – Desativadores de metais
8.3 – Antiácidos e estabilizantes para PVC
8.4 – Conclusão
8.5 – Bibliografia
Capítulo 9 – Biodegradação de polímeros
9.1 – Introdução: o que é biodegradação?
9.2 – Polímeros biodegradáveis
9.3 – Cargas e agentes de reforço biodegradáveis e plásticos oxo-biodegradáveis 9.4 – Bibliografia
Capítulo 10 – Alguns estudos de casos
10.1 – Stress cracking em policarbonato
10.2 – Negro-de-fumo, reforço, pigmento ou foto-estabilizante?
10.3 – Embranquecimento de peças de polipropileno injetadas com cor preto fosco e cinza
10.4 – Os cuidados que devem ser tomados ao selecionar a matéria-prima e os aditivos para confeccionar uma tubulação para transporte de fluido, um reservatório ou uma embalagem
10.5 – Que estratégia usar para estabilizar compósitos e nanocompósitos?
10.6 – Como proceder em questões judiciais envolvendo problemas de degradação?
10.7 – Bibliografia

Marco Aurelio De Paoli - Marco-Aurelio De Paoli é Químico, formado pela Universidade de Brasília em 1970. Doutor em Química pela Universidade de São Paulo em 1974. Livre-Docente em Química pela Unicamp em 1983 e Professor Titular pela Unicamp em 1990. Trabalhou em diversas instituições internacionais como Pesquisador Visitante ou como Professor Convidado. É membro da Academia Brasileira de Ciências e já recebeu diversos prêmios científicos nacionais e internacionais. Iniciou suas pesquisas com polímeros na Unicamp em 1978 e, desde então, vem ministrando cursos nesta área para alunos de graduação, pós-graduação e profissionais do setor industrial. Orientou setenta Teses de Doutorado e Mestrado, publicou duzentos e quarenta trabalhos científicos em periódicos indexados, escreveu um livro e vários capítulos de livros publicados no exterior. Também é co-autor de doze pedidos de patente nacionais e uma internacional.
>> Site: http://


LEIA TAMBÉM


Do Mesmo Tema:


Aditivação de Polímeros

Análise Térmica de Materiais

Ciência dos Polímeros

Moldes Para Injeção de Termoplásticos

Plásticos de Engenharia

Processamento de Termoplásticos

Reciclagem do Plástico

Técnicas de Caracterização de Polímeros


Copyright © 2006 Antenna Edições Técnicas - Produzido por Marcelo S. Macedo
Av. Marechal Floriano, 151 - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP: 20080-005
Tel: (21)2223-2442 - Fax: (21)2263-8840